Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos

Fotografia

A fronteira entre os EUA e o México tem um comprimento de 3,141 km, que atravessa diferentes paisagens, incluindo cidades e desertos. Em dezembro de 2005, o congresso dos EUA aprovou a construção de um muro na fronteira EUA-México. O objetivo do muro era reduzir o fluxo de imigrantes ilegais e contrabando nos EUA.

Em janeiro de 2009, a Liga Internacional de Fotógrafos enviou uma expedição especial, que incluiu fotógrafos famosos, escritores, cientistas e cineastas para filmar e analisar as condições do terreno e o efeito da construção muro construído sobre ele. Em um mês eles percorreram mais de 3000 km ao longo da fronteira, e registraram tudo em belas fotos.

Ambientalistas frequentemente alertam sobre o dano irreparável que o muro causa no meio ambiente, destruindo a vegetação e impedindo a migração dos animais, e o objetivo da expedição foi recolher o máximo de informações sobre o impacto do muro nos sistemas ecológicos da região.

O muro aumentou significativamente o número de mortes de imigrantes ilegais que tentaram atravessar a fronteira. Foram quase 5.000 mortes nos últimos 13 anos. O muro acaba dividindo sonhos e pesadelos: imigrantes que um dia sonharam em se tornarem moradores dos EUA acabam passando por pesadelos ao tentarem passar ilegalmente pela fronteira.

Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos

Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos
Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos

Fronteira entre os EUA e o México: a divisão de sonhos e pesadelos

3 comentários

Gisa Viegas

Na Alemanha chamaram-lhe o muro da vergonha e era apenas por questões políticas. Aqui trata-se de morrer à fome ou, sem saber, vir a ser explorados pelos sulistas e racistas americanos, além de serem extorquidos pelos passadores ilegais. É o triste destino de quem nasceu pobre, com uma natureza adversa e governantes corruptos, que agora já estão espalhados por todo o mundo

Responder
Gisa Viegas

Na Alemanha chamaram-lhe o muro da vergonha e era apenas por questões políticas. Aqui trata-se de morrer à fome ou, sem saber, vir a ser explorados pelos sulistas e racistas americanos, além de serem extorquidos pelos passadores ilegais. É o triste destino de quem nasceu pobre, com uma natureza adversa e governantes corruptos, que agora já estão espalhados por todo o mundo

Responder

Deixe uma resposta