A Pirâmide Social no Escritório de Advocacia

Fun

SÓCIO MAJORITÁRIO: (…)
Sempre de bom humor, o Sócio Majoritário ganha rios de dinheiro explorando o trabalho escravo dos outros componentes da pirâmide social do escritório. Graças à sua reputação de excelente jurista, o escritório conquistou inúmeros clientes tribilhardários, que mal sabem que ele só assina as petições, fica lendo jornal, tomando café e fazendo contatos na sua mega sala GLX.
Passa a maior parte do tempo viajando pelo mundo em “congressos” com a família e pendura todos os diplomas que ganha em suas andanças pelas paredes do escritório para impressionar a moçada. Seu maior prazer é prometer a direção do escritório aos sócios minoritários.

O SÓCIO MINORITÁRIO: (…)
Misteriosamente, sempre trata o Sócio Majoritário de “Pai”, “Tio” ou “Benhê”.
De sobrenome idêntico ao que dá nome ao escritório, o Sócio Minoritário pega todos os clientes que o Majoritário não tem saco, nem tempo para entender e delega tudo aos Advogados Associados, que, por sua vez, passam tudo para os estagiários que:
1) Claro, nunca tiveram aquela matéria;
2) Se tiveram, nunca tiveram aquela matéria bem dada;
3) Se tiveram bem dada, faltaram naquela aula;
4) Se sabem a matéria, tem noção de que os advogados pretendem uma heresia jurídica.
O Sócio Minoritário larga o escritório às 18:00 horas para fazer as aulas de pós, mestrado ou doutorado, com o orientador arranjado pelo “Pai”, “Tio” ou “Benhê”. Seu maior prazer é prometer clientes para os pobres Associados e esperar a morte do Sócio Majoritário.

O ADVOGADO ASSOCIADO: (…)
Dá um duro danado no escritório: hora extra não remunerada, leva trabalho para casa no fim de semana, tem stress, estafa, início de calvície e impotência sexual. Leva o trabalho
para os sócios analisarem e assinarem. Não ganha muito bem mas, como perdeu os amigos, a mulher e os filhos, ainda sobra uma grana. No entanto, não tem a menor idéia do que fazer no seu tempo livre: a hora do almoço.
Sua maior diversão é prometer passar “umas coisas” para os recém efetivados e rir das piadas infames de todos os sócios.

A SECRETÁRIA: (…)
Essa funcionária dedicou os últimos 30 anos (entregando a sua saudosa juventude) a “servir” o Sócio Majoritário. É figura intocável no escritório, assim como as bibliotecárias boazudas que, quando completam 26 anos, são sumariamente demitidas. Seu maior prazer é puxar o saco dos sócios e tornar a vida de todos os outros um inferno.

ESTAGIÁRIO COM OAB: (…)
Normalmente é o mais elegante do escritório e se acha “O” advogado, enchendo o saco dos amigos com as “causas” lá do escritório que “ele” fez ganhar. Despreza os outros estagiários e, para mostrar seu enorme status, manda os pobrezinhos para os piores buracos possíveis: fóruns do interior, Justiça do Trabalho, elevadores da Fazenda Pública Estadual, Delegacias de Polícia, Receita Federal etc. Tem certeza de que pode fazer muito melhor o trabalho dos advogados associados. Sua grande felicidade é dizer aos novatos, com ares de experiência, que “é assim mesmo” ou “no meu tempo era pior”.

ESTAGIÁRIO NOVATO (SEM OAB): (…)
A vida dele é tão miserável que seu lazer é fazer turismo no El Dorado ou no Centro de BH. Só pega serviços externos o dia inteiro e se ferra na faculdade. Seu conhecimento de pontos de ônibus é notável e é capaz de recitar na ordem todas as estações da linha “SAVASSI – ELDORADO”. Seu maior prazer é contar para os amigos: -“Tô aprendendo pra caralho”, e que seu chefe já o elogiou na frente de um associado”

6 comentários

Deixe uma resposta