Correr ou andar na chuva?

Curiosidades,Dicas,Video

O que molha mais na chuva: correr ou andar?
Todas as vezes que começa a chover e você está desabrigado, instintivamente você corre. Certo? Certo. E faz isso porque assim se molha menos. Certo? Errado. A primeira reação que se tem quando começa a chover é sair correndo para não se molhar, ou, pelo menos, se molhar o mínimo possível. Mas, dependendo do tipo de chuva, essa pode não ser a melhor opção.

Considerando-se que a quantidade de chuva que cai não se altera, segundo o professor de física Bassam Ferdinian, se a chuva estiver caindo em sentido perpendicular ao chão, não importa se a pessoa está parada, andando ou caminhando. Ela vai se molhar da mesma forma. Agora, se a chuva estiver caindo de forma inclinada, quando a pessoa corre, ela se molha mais rapidamente.

“Se a pessoa correr, vai receber mais água porque a vazão é o resultado da área multiplicada pela velocidade. Quando se corre, a velocidade relativa aumenta, então, a vazão de água aumenta e a pessoa se molha mais”, explicou o professor.

Os Caçadores de Mitos puseram isso a prova, vejam:

De acordo com uma pesquisa feita por cientistas da Universidade de Reading, na Inglaterra, caminhar ou correr na chuva encharca da mesma forma em qualquer pessoa.

O estudo, publicado pela revista New Scientist, dá uma explicação simples: ao caminhar a uma velocidade normal (de 2 a 3 metros por segundo) uma pessoa tem principalmente a cabeça e os ombros atingidos pelos pingos de chuva e, em menor intensidade, a parte frontal do corpo. Ao correr, a situação se inverte: a água que cai nas regiões superiores do corpo é menor, mas aumenta a quantidade que atinge a parte da frente.

As silhuetas de dezenas de voluntários utilizados na pesquisa foram medidas cubicamente e inseridas num computador.

Os cientistas ingleses estão agora às voltas com uma outra questão, por enquanto inexplicável: se o encharcamento é inevitável, por que o ser humano continua correndo instintivamente da chuva? Será por um comportamento nato ou adquirido culturalmente?

A Universidade de Reading encaminhará agora o problema à sua equipe de psicólogos.

Fonte: Terra

28 comentários

Anonymous

Pra uma área de corpo de 1 m² que não varie em uma distância de 55 m chovendo 1 L/min em 1 m², temos:
1m² = 1 L/min => ~16,66 mL/s

Vejamos a 20 km/h:
20 km/h = ~5,5 m/s
55 m /[ 5,5 m/s] = 10 s
16,66 mL/s * 10 s = 166 ml

Vejamos a 10 km/h
10 km/h = ~2,77 m/s
55 m /[2,77 m/s] = 19,85 s
16,66 mL/s * 19,85 s = 330 mL

Podemos dizer que quando não varia a área (por inclinação) a velocidade ajuda. E claro, sempre existe o risco de uma poça no caminho.
Eu suponho que corremos para aproveitar momentos com menos chuva.

Responder
Pedro Sá

Bacana sua continha, anônimo, mas não creio que seja assim tão simples… A chuva é constante, mas não uniforme. Como o texto diz, quando você anda, a maior incidência de pingos é vertical, mas quando você corre acaba pegando mais pingos que não pegaria se estivesse andando.

Responder
Anonymous

"Podemos dizer que QUANDO NÃO VARIA A ÁREA (POR INCLINAÇÃO) a velocidade ajuda."

Quando você corre aumenta a área atingida por pingos, mas seu tempo de exposição é menor.

Se o corpo tem 1 m² por 2 m² (altura), e a chuva neste modelo hipotético cai apenas verticalmente, ele vai receber 166 mL nos 55 m. Entretanto, se a chuva vier perpendicular será atingido por 332 mL na mesma distância percorrida e, gastando quase a metada do tempo.
Pra esse cálculo grosseiro vemos que seria a mesma coisa correr ou andar na chuva.

"Eu suponho que corremos para aproveitar momentos com menos chuva."

Responder

Deixe uma resposta