10 mitos científicos que muita gente acredita

Curiosidades

10 mitos científicos que muita gente acredita
Conheçam 10 equívocos científicos que muita gente acredita, mitos populares que foram desvendados!

Vi no O Buteco da Net.

Mito: A evolução fez com que algumas espécies melhorassem
Nem todos os organismos vivos mudaram durante sua existência. Alguns exemplos disso são os fungos, tubarões, camarões e musgos. Esses organismos estão suficientemente adaptados ao seu ambiente e conseguem sobreviver sem melhorias.

Outros seres mudaram muito, mas não necessariamente para melhor. Algumas culturas tiveram seus ambientes alterados e suas adaptações podem não ter se adaptado tão bem à sua nova situação. A adaptação está ligada ao seu ambiente, não ao progresso.

Mito: Os homens podem explodir no espaço
Este mito é resultado dos filmes de ficção científica, que o utiliza para adicionar emoção ou drama ao enredo. De fato, um ser humano só pode sobreviver por 15 – 30 segundos no espaço. Depois disso, a falta de oxigênio faz perder a consciência, que eventualmente leva à morte por asfixia. Os tecidos (pele, coração e órgãos internos) dilatariam devido aos fluidos em ebulição, mas não chegariam a explodir.

Mito: Polaris é a estrela mais brilhante no céu noturno do hemisfério norte
Sirius é a mais brilhante, com uma magnitude de -1,47 em comparação com a Polaris (quanto menor o número, maior o brilho). A posição da Polaris no céu a deixou conhecida como “Estrela do Norte”. Ela também é a mais brilhante da constelação Ursa Menor e no correr dos séculos vem sendo usada para nortear os navegantes.

Mito: Alimentos que caem no chão são seguros para comer, se você pegá-lo dentro de cinco segundos
Este mito deve ser óbvio para a maioria dos leitores. Se há germes no chão e a comida cair sobre eles, evidentemente eles vão aderir imediatamente ao alimento. Dito isso, comendo germes e sujeira nem sempre é uma coisa ruim, uma vez que nos ajuda a desenvolver um sólido sistema imunológico.

Mito: Existe um lado escuro na Lua
Na verdade, cada parte da Lua está iluminada pelo sol em algum momento. Este equívoco surgiu porque há um lado da Lua que nunca é visível na Terra. Isso ocorre porque o movimento de translação e rotação lunares possuírem o mesmo tempo de duração. A Lua só fica totalmente escura em períodos de eclipse total lunar, quando a sombra da Terra impedir que os raios solares iluminem o satélite.

Mito: Se você matar uma célula, nunca se regenerará
A razão para este mito ser tão comum está no fato dele ter sido ensinado pela comunidade científica por um longo tempo. Mas, em 1998, cientistas suecos e do Instituto Salk, em La Jolla, Califórnia, descobriram que as células no cérebro humano maduro podem se regenerar. Após danificarem uma zona específica do córtex cerebral de ratos, o estudo constatou que a memória e a aprendizagem podem criar novas células, trazendo uma nova esperança para uma eventual cura para doenças como Alzheimer.

Mito: Uma moeda de um centavo, jogada de um prédio muito alto pode matar um pedestre
Este mito é tão comum, que até mesmo tornou-se clichê em alguns filmes. A ideia é que, se você deixar cair uma moeda de um centavo do topo de um prédio alto (como o Empire State), ela pega velocidade suficiente para matar uma pessoa se cair sobre sua cabeça. A aerodinâmica de uma moeda de um centavo não é suficiente para torná-la tão perigosa. O que iria acontecer na realidade, seria uma espécie de picada, mas que certamente não mataria ninguém.

Mito: Meteoros são aquecidos pela fricção quando entram na atmosfera
Quando um asteróide entra na atmosfera da Terra (se tornando um meteoro), a velocidade que comprime o ar na frente do objeto faz com que ele se aqueça. A pressão sobre o ar faz com que o calor intenso seja suficiente para fazer com que a pedra aumente sua temperatura, deixando-a brilhante e visível. Existe também um mito que afirma que um meteoro torna-se meteorito quando atinge a Terra. Meteoritos são quase sempre frios, por isso são frequentemente encontrados cobertos de gelo. Isso ocorre porque eles são tão frios, que nem a entrada no planeta é capaz de queimar suas camadas exteriores.

Mito: Raio nunca atinge o mesmo local duas vezes
Da próxima vez que você vir um relâmpago e pensar em se proteger num lugar que já tenha sido atingido por ele, pense duas vezes! Os raios não se importam em atingir duas vezes o mesmo lugar – na verdade, isso é muito comum. Os mais altos objetos estão sempre suscetíveis a serem atingidos por relâmpagos. O Empire State, por exemplo, é atingido cerca de 25 vezes por ano.

Mito: Não há gravidade no espaço
Na realidade, há gravidade em todo o espaço. Os astronautas parecem mais leves, porque estão orbitando a Terra. Como a gravidade na Terra é bem maior, eles basicamente estão sempre caindo, mas nunca desembarcam. Uma nave em órbita é como um elevador caindo. Os engenheiros calculam a velocidade da nave para que seja rápida o suficiente para fazer essa queda demorar. Quando a nave baixa a altitude, os astronautas aumentam a potência dos motores para ganhar mais velocidade. Quando um ônibus atinge a altura orbital, a gravidade é reduzida em apenas 10%.

Um comentário

Deixe uma resposta