Massa cinzenta: Plano de marketing pessoal 3

Massa cinzenta: Plano de marketing pessoal 3

Conheça seu “mercado”, suas forças e suas fraquezas. Uma empresa deve conhecer muito bem, seu mercado (aqui se inclui os concorrentes também), as suas forças e suas fraquezas. No nosso PMP não é diferente. Devemos nos conhecer, estar ciente de nosso potencial e de nossos defeitos para que nossas metas entrem em sintonia com nossas ações. Abaixo, relaciono algumas perguntas, de acordo com certas áreas, para ajudar na identificação desses aspectos:

Massa cinzenta: Plano de marketing pessoal 2

Massa cinzenta: Plano de marketing pessoal 2

O primeiro passo para elaboração de um Plano de Marketing Pessoal (PMP) é a de auto-analise. É necessário conhecermos a nós mesmos, e para isto precisamos ser sinceros (e é impressionante como, às vezes, você mente pra você mesmo!

Dessa analise surgirá nossa missão:

Massa cinzenta: Plano de marketing pessoal

Massa cinzenta: Plano de marketing pessoal

Segundo Philip Kotler, marketing é um processo social que permite a troca de interesses entre empresas e consumidores por meio da produção, oferta e venda de produtos e serviços. O processo de planejamento de marketing é fundamental para o sucesso de qualquer organização, com ou sem fins lucrativos. Ao contrário do que se pensa, marketing vai muito além da propaganda ou das vendas. Continuando à serie que fala sobre a direção que damos às nossas vidas, apresento-lhes o plano de marketing pessoal.

Massa cinzenta: Barco à deriva I

Massa cinzenta: Barco à deriva I

Barco à deriva I, uma analogia em relação a metas e planejamento.

Imagine-se em algum lugar no meio do oceano, dentro de um pequeno barco a vela, sem remos, sem nenhuma forma de contato com ninguém. Assustador, não?

Mas saiba que é exatamente assim que a vida de muitas pessoas está nesse momento: Sem rumo.

“Há uma imensidão de mar à volta.
Água e água por todos os lados…
Tantas opções de caminho e nenhum significado,
inércia de ignorância que revolta!

Há um barco perdido na liberdade
de um profundo e imenso mar,
E um marinheiro que não sabe navegar
Com algum propósito ou finalidade.

Ouvem-se ao longe barcos chegando,
Eles sabem para onde vão,
Enquanto este segue naufragando.

Pergunta-se se há um destino a chegar…
Como encontrar as repostas sem saber as perguntas?
Ou como encontrar o porto certo para ancorar?”

Texto por Juliana Lira

E a sua vida como está? Você tem controle dela? Sabe aonde estará ou o que estará fazendo daqui a um ano? Cinco anos? Dez anos? Ou você está “deixando a vida te levar”, sem controle ou rumo certo? Você possui metas claras, definidas e principalmente por escrito?

Uma pesquisa feita em 1953 com formandos da universidade americana de Harvard, a respeito de metas, mostrou um resultado surpreendente. Perguntaram para dois mil acadêmicos já no fim do curso, quantos dentre eles tinham objetivos e metas claramente definidos e por escrito. 85% dos entrevistados responderam que não tinham nem ideia do que iriam fazer após terminarem a faculdade. E 12% tinham uma ideia vaga do que queriam fazer, montar um negócio, trabalhar em uma grande corporação, voltar para a cidade em que nasceram, trabalhar com o pai, ou prestar um concurso, dentre outras declarações. Os 3% restantes tinham metas claramente definidas e no papel.

Vinte anos após, em 1973, os pesquisadores foram conferir como estava a vida de cada um daqueles profissionais no mercado de trabalho. E o resultado foi realmente impressionante. Os 3% que duas décadas antes, sabiam exatamente o que queriam, valiam mais econômica e financeiramente do que os outros 97% juntos. Sabe o que isso significa? Se somasse a renda daquela minoria, resultava em um montante maior que o ganho dos outros 97%. E mais: a qualidade de vida em termos familiares, atitudes positivas, saúde, viagens, paz de espírito e outros itens, que não dá para contabilizar em números, era muito superior do que dos demais.

Coincidência? Eu acho que não.

Os 3% sabiam para onde estavam indo com as próprias vidas. E isso não se aplica somente a carreira profissional; devemos ter o controle de nossas vidas em todos os campos possíveis, você viu que os formandos de Harvard não tiveram sucesso somente profissional, mas também aquele que para mim vale muito mais: Sucesso Pessoal.

Meu objetivo com esse post é chamar sua atenção para o rumo que está dando a sua vida, se você parou para refletir alguns instantes sobre isso, eu já fico feliz.

Agora volte e leia novamente o belo soneto com quem eu comecei este artigo e reflita sobre o que a autora quis dizer.

Nos próximo post vou falar mais sobre a definição de metas e seu acompanhamento, um post bem prático!

eduardoe.franco@gmail.com
http://twitter.com/dudufranco89

Abraços!!!

“Somos quem podemos ser/Sonhos que podemos ter” (Engenheiros do Hawaii)

Massa cinzenta: Captação de informações

Massa cinzenta: Captação de informações

Nosso cérebro possui diferentes formas de captar informações, cada forma está ligada com um ou mais de nossos sentidos.

As formas de captação podem ser usadas por nós no trabalho com a PNL, nos estudos, ou no dia-a-dia desde influenciar alguém ou simplesmente bater papo.

Embora todos nós tenhamos os três sistemas: visual, auditivo e cinestésico (tato, olfato e paladar; tem mais a ver com “sentir”), é comum que um deles esteja mais desenvolvido que os outros, mas é bom lembrar que não devemos rotular ou considerar como definitiva essas identificações, pois podemos trabalhar e aperfeiçoar cada sistema. No final do artigo tem um teste que pode ser feito (pede seu email, mas pode ficar tranqüilo que eles não ficam te mandando nada). Devemos utilizar a forma que nos é predominante, mas não custa aperfeiçoar as demais. O resultado do meu teste foi o seguinte:

Resultados
29% – Visual
33% – Auditivo
38% – Cinestésico

Cada pessoa possui uma forma de captação maior ou menor em seus diversos sentidos. Procure se identificar:

VISUAL: Precisa “ver” a coisa para compreender, captar, aprender. Não basta conversa, não basta raciocinar ou uma boa explicação. Visuais precisam ver para compreender. Você pode perceber a tendência visual na fala da pessoa, pois diz “Viu?”, “Veja bem”, “Olha só”, “Não vejo a hora”, “Visualiza isso, cara”. Outra forma de perceber a tendência é a gesticulação na frente ou indicando os olhos e a postura mais ereta.

CINESTÉSICO: Procura a sensação de sentir, provar, tocar. Fala “Não me cheira bem”, “Não me toquei com isso”; “Esse cara me marcou”, “Sentiu isso, cara?”, etc. Precisa sentir, tocar. Sua postura parece indicar a tentativa de cheirar ou provar.

AUDITIVO: Precisa ouvir, escutar. Responde melhor a um estímulo auditivo do que aos demais. Ao falar utiliza termos como “Vê se me escuta” e “Isso não me soa bem”. Gesticula na altura dos ouvidos ou apontando e tocando os próprios ouvidos ou do interlocutor. Em sua postura pode parecer estar virando o ouvido para ouvir melhor.

Além dos 3 tipos mencionados acima, há um quarto tipo que é o Digital ou Polivalente (meu caso). Essa pessoa é aquela que tem uma captação equilibrada entre os sistemas acima. Sua característica é a de ser introspectivo no sentido de se tocar (sem pensar besteiras aqui) ou falar sozinho, gostar de pensar “com seus botões” e querer a explicação de tudo (nem sempre também, não confundam uma pessoas assim como autista).

Seguem abaixo exercícios para ajudá-lo a estimular seus sentidos (sim, eu copiei do site do teste ai que feio):

VISUAL
1. jogar jogo da memória, caça-palavras, jogo dos 7 erros;
2. durante 1 minuto, perceber o maior número de cores à sua volta;
3. ler, ir à exposições (quadros, fotos), ir ao cinema, pintar;
4. ficar ½ dia sem falar, comunicando-se por bilhetinhos (meio loco isso);
5. mudar arrumação de móveis ou objetos do seu quarto (ou da casa toda).

AUDITIVO
1. Ficar algumas horas de olhos vendados (experimente colocar uma venda para não cair na tentação de abrir os olhos);
2. ao ouvir música, perceber os sons dos diferentes instrumentos;
3. durante 1 minuto, prestar atenção ao maior número de sons à sua volta (vá nomeando em voz alta o que ouve);
4. cantar: em coral ou sozinho no banheiro (pobres dos vizinhos);
5. falar experimentando diferentes tons e velocidades (mais agudo/mais grave; mais rápido/mais lento).

CINESTÉSICO
1. Tomar banho no escuro, prestando atenção à sensação corporal;
2. procurar um objeto dentro da bolsa ou pasta só pelo tato/prestar atenção às diferentes texturas dos objetos (roupas, almofadas, papel);
3. sentir o cheiro da comida antes de começar a comer/sentir que perfume as pessoas estão usando;
4. receber massagem, aplicação de argila, brincar com massa de modelar;
5. antes de dormir, ir relaxando uma parte do corpo de cada vez, prestando atenção às sensações.

TESTE: http://somostodosum.ig.com.br/testes/pnl/exercicio1.asp

Alguma sugestão ou dúvida?

eduardoe.franco@gmail.com
http://twitter.com/dudufranco89

Abraços!!!

“Não é a consciência do homem que lhe determina o ser, mas, ao contrário, o seu ser social que lhe determina a consciência” (Karl Marx)

Massa cinzenta: cérebros masculino e feminino

Massa cinzenta: cérebros masculino e feminino

Os cérebros podem ser extremamente complexos. O cérebro humano contém cerca de 100 bilhões de neurônios, ligados por mais de 10,000 conexões sinápticas cada. O cérebro masculino é voltado para a compreensão, enquanto o feminino é programado para a empatia. Podemos dizer que se completam, não é? O primeiro vídeo da coluna Massa cinzenta trata desse assunto e usa e abusa do bom humor. Nele o palestrante nos traz algumas características do comportamento do homem e da mulher.

Massa cinzenta: Programação Neurolingüística

Massa cinzenta: Programação Neurolingüística

Imagine-se entrando numa loja de eletrônicos e escolhendo o melhor e mais novo computador do mundo. Você vai fazer o maior sucesso com ele não é?

Isso depende de duas coisas. Primeiro você vai definir o que é sucesso e, depois, o que o seu computador vai realizar. Para a segunda questão, além da capacidade de sua máquina, você vai precisar fazer as conexões certas entre os diversos elementos do computador: CPU ligada ao teclado, conexão com o monitor, com mouse, com as caixas acústicas e os periféricos, etc.


Além dos aplicativos – programas – eficazes e potentes para alcançar o objetivo, você precisa saber “tocar” todo esse repertório: operar o micro, lidar com os aplicativos e saber o que é que vai fazer. De tudo isso depende o resultado. Mas, e daí? O que isso tem a ver com Programação Neurolingüística – PNL? Tudo.

Acompanhe:

Você é um ser neurosensorial. Os seus sentidos é que fazem a sua conexão com o mundo. Tudo que você vê, ouve e sente forma o acervo de suas experiências sensoriais. O nome Programação Neurolinguística resume os três pontos complexos que são estudados pela disciplina. O “Neuro” remete à mente, onde processamos nossas experiências por meio dos cinco sentidos. “Lingüística” refere-se à linguagem ou a outras formas de comunicação não verbais. Por fim, o termo “Programação” pode ser entendido como uma comparação entre a mente humana e um computador. Com a PNL, é possível “reprogramar” o cérebro, ensinando a ele novos caminhos e retirando falhas de programação geradas no passado.

Trata-se de uma das mais eficazes ferramentas de mudança comportamental, reconhecida em todo o mundo como a fórmula da excelência humana.

Alguma semelhança com o computador, os periféricos e os aplicativos? Sim. Claro. Com uma diferença, o proprietário do computador, no caso você, escolheu inclusive os programas que ele vai usar, de acordo com seus objetivos. No caso do ser humano isso não acontece. A maioria dos estímulos que uma pessoa recebe, principalmente na fase inicial de desenvolvimento, não depende dela. Assim, todas as pessoas são programadas sem um padrão correto, com bons e maus programas, inclusive vírus, que são as limitações comportamentais. O elegante da PNL é que ela permite que qualquer pessoa possa assumir o controle sobre seus próprios comportamentos e aprendizados.

O uso da PNL pode modificar hábitos que impedem as pessoas de aproveitar todo o seu potencial. As técnicas ajudam a entender e solucionar problemas de relacionamento e problemas de auto-confiança e baixa auto-estima. Podem, ainda ser aplicadas para combater transtornos cada vez mais comuns atualmente, como ansiedade, estresse, síndrome do pânico e transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

Resumindo: Nossa Programação é afetada pelos nossos Pensamentos, que conduz aos nossos Sentimentos/Emoções, que conduz aos nossos Comportamentos, que determinam os nossos resultados.

Pensamento>>>Sentimento/emoção>>>Comportamento>>>Resultados.

Para mudar esta estrutura é necessário mudar a Programação, que por sua vez mudará a maneira de pensar, de sentir e de agir. Com isso mudam-se os resultados.

Alguns dos possíveis resultados da PNL:
# Evolução pessoal
Descobrir, conhecer e explorar melhor sua própria essência são as chaves para manter uma evolução constante. O autoconhecimento despertado pelas ferramentas da PNL permite detectar padrões de comportamento limitantes, definir e formular objetivos, aprimorar a percepção em relação a metas pessoais e flexibilizar atitudes e opiniões.

# Crescimento profissional
A tão celebrada inteligência emocional é hoje um diferencial competitivo inegável na vida profissional. O termo resume a capacidade de se relacionar com seus pares, superiores e subordinados; de compreender e respeitar diferentes pontos de vista e de agregar as competências individuais em prol do êxito da equipe. Todas essas habilidades podem ser aprimoradas por meio da PNL, que oferece técnicas para melhorar a comunicação e o relacionamento interpessoal.

# Melhora na capacidade de influenciar e motivar
As técnicas de PNL ensinam a utilizar a linguagem para influenciar e motivar pessoas, de maneira íntegra e elegante. Transmitir informações ou valores de maneira clara e convincente – seja no âmbito profissional, pessoal ou familiar – auxilia em situações de negociação, na tomada de decisões e na solução de conflitos.

Alguma sugestão ou duvida?
eduardoe.franco@gmail.com
http://twitter.com/dudufranco89

Abraços!!!

“Nosso cérebro é o melhor brinquedo já criado: nele se encontram todos os segredos, inclusive o da felicidade.” Charles Chaplin

Massa cinzenta: 7 dicas para exercitar seu cérebro

Massa cinzenta: 7 dicas para exercitar seu cérebro

No post dessa semana mostrarei sete dicas para aperfeiçoar o que temos de melhor (ou pior), o nosso cérebro (é, é por falar em cérebro que o nome da coluna é Massa Cinzenta, entendeu?). É normal dizerem que o nosso cérebro é como um músculo: precisa ser estimulado para melhorar seu potencial, ou pelo menos, para não termos um cérebro (como o do pessoal lá de Brasília) atrofiado. Bom, chaga de blá blá blá e vamos ao que interessa:



1. Exercício físico
Está provado que fazer exercício pode aumentar as células que se encontram na parte do cérebro responsável pela aprendizagem e pela memória. Mas,( tudo tem um mas né?) não são todos os exercícios aqui vai uma comparação do que realmente funciona:
Treino aeróbico: SIM. Estudos mostram aumento de massa cinzenta e branca em cérebros de adultos mais velhos. Também aumenta a performance de alunos de faculdade em testes cognitivos.
Levantar pesos: IRRELEVANTE. Quando um fisiculturista diz que está ficando enorme, com certeza ele não está falando em relação ao seu cérebro. Foi achada uma ligação mínima entre treinos de resistência e função cognitiva.
Yoga: SIM. Quando estamos estressados muitas vezes prendemos a respiração. Resultado: mais estresse, menos oxigênio para o cérebro. Assim a primeira coisa que se perde é a memória. A Yoga ajuda a perder este hábito.

Dica do Dudu: Estudar na esteira é IRRELEVANTE. Aulas de spinning podem aumentar seu “músculo” cerebral, mas não significa que você deva estudar enquanto estiver bufando e suando na esteira. Pesquisas mostram que isso só irá confundi-lo. Você acaba não fazendo bem nem uma coisa, nem outra.

2. Novidades
Dê novidades para o cérebro. Exemplos: experimentar novos sabores ou cheiros; lavar os dentes com a mão contrária; jogar jogos de cartas complicados; fazer puzzles; ler romances de boa qualidade; tomar banho de olhos fechados, ir ao trabalho por outro caminho, falar com pessoas estranhas, aprender uma língua nova ou tocar um instrumento.

Dica do Dudu: ler o Blog Ideias e essa coluna é uma excelente forma de trazer novidades ao cérebro!

3. Perguntas/Curiosidade
Estimule sua curiosidade. Faça perguntas a você mesmo, isto te obriga a raciocinar. Pergunte, por exemplo, porque é que aquela máquina funciona de determinada maneira. Antes de pedir ajuda para alguém, insista na dúvida.

Dica do Dudu: Use um dicionário. Escolha ao acaso palavras difíceis no dicionário. Agora tente usá-las em uma conversa do cotidiano, só tome cuidado para não parecer um nerd!

4. Fuja do stress e ria
Se você está correndo de um leão no meio da selva é bom estar estressado: você vai correr mais rápido! Entretanto, se você está no meio daquela prova (fudida) dificílima de matemática, é bom estar calmo e relaxado.
A amídala (a do cérebro, pois as da garganta só servem para infeccionar), é o nosso centro que controla o medo, e sempre supera o córtex pré-frontal, o qual é responsável pela memória de trabalho e tomada de decisão. Quando essa área profunda de nosso cérebro (amídala) é ativada, ela subjuga seus neurônios do córtex. Seu QI cai. Sua criatividade, senso de humor – tudo desaparece. Você fica estúpido. Como evitar isto? Respire fundo, e sincronize seu pulso com sua respiração. Assim seu cérebro vai pensar que está tudo mais calmo.

Dica do Dudu: Simplesmente ria. Quando nós rimos, lançamos endorfina no nosso sistema, o que leva à redução do stress, recarregando as baterias do nosso cérebro.

5. Coloque a memória para funcionar e esqueça o marca página!
Você achou ambíguo esse sub-titulo??? Pois é, eu também, mas calma…
Busque suas lembranças mais remotas e as anote; Tente lembrar o que você almoçou antes de ontem, ou ainda não use mais marca página em seus livros. Memorize a página em que você parou a leitura. Mais uma boa idéia é pegar diferentes fotografias de várias épocas e lembrar aonde foram tiradas e o que aconteceu neste dia. Você vai ver que lembra de coisas que nem lembrava lembrar!

Dica do Dudu: Bom, comecei o tópico com uma frase ambígua e terminei com um trava-língua. É melhorar não dar mais nenhuma dica para não piorar ainda mais a coisa!

6. Bebidas alcoólicas
Se você achou que eu ia dizer que uma vodka com suco de limão, ou um whisky com guaraná são ótimos para o cérebro, infelizmente, digo que é o contrário.
Estudos em ratos levaram a concluir que os que consumiam grandes quantidades de bebidas alcoólicas produziam menos células novas nos seus cérebros. Mas, parece que aquela velha teoria de que o álcool queima neurônios, é falsa… Apenas diminui a capacidade de produzir células novas (menos mal hein).

Dica do Dudu: Beba sempre com moderação. Isso não só faz bem ao cérebro, mas também pode lhe livrar de várias frias e vexames (eu que o diga!).

7. Seja bom de cama
Calma! Estou falando de dormir!
Alguns fatos comprovados por pesquisas podem nos dar uma idéia da importância que tem o sono no nosso desempenho físico e mental. Por exemplo, num estudo realizado pela Universidade de Stanford, EUA, indivíduos que não dormiam há 19 horas foram submetidos a testes de atenção. Constatou-se que eles cometeram mais erros do que pessoas com 0,8 g de álcool no sangue – quantidade equivalente a três doses de uísque. Igualmente, tomografias computadorizadas do cérebro de jovens privados de sono mostram redução do metabolismo nas regiões frontais (responsáveis pela capacidade de planejar e de executar tarefas) e no cerebelo (responsável pela coordenação motora). Esse processo leva a dificuldades na capacidade de acumular conhecimento e alterações do humor, comprometendo a criatividade, a atenção, a memória e o equilíbrio.

Dica do Dudu: Quer saber como dormir melhor? O Dudu lhe diz:
* À noite, procure comer somente alimentos de fácil digestão e não exagerar nas quantidades, também evite estimulantes como a cafeína.
* Evite dormir com a TV ligada.
* Apague todas as luzes, inclusive a do abajur, do corredor e do banheiro
* Vede bem as janelas para não ser acordado(a) pela luz da manhã
* Não leve livros estimulantes nem trabalho para a cama
* Tire da cabeceira da cama o telefone celular e relógios.
* Tome um banho quente, para ajudar a relaxar, antes de ir dormir.
* Tente ir para cama todos os dias no mesmo horário, isto ajuda a induzir o sono.

Alguma sugestão ou duvida? Mande pra mim e terei o maior prazer em responder:

eduardoe.franco@gmail.com
http://twitter.com/dudufranco89

Abraços!!!

“Se você não estiver dando ao mundo o melhor de si, para qual mundo está se guardando?” K.M. Keith

Massa cinzenta: Os dois lados do cérebro

Massa cinzenta: Os dois lados do cérebro

Você se considera uma pessoa criativa e emotiva, ou uma pessoa lógica e racional? Sabia que isto está relacionado com qual lado do cérebro você usa mais? Neste artigo você vai aprender porque isso acontece e como trabalhar melhor ambos os lados do cérebro. O lado do cérebro que nós nos habituamos a usar mais tem grande influência em nossa vida, desde nossa carreira profissional até nossos relacionamentos. O lado esquerdo do cérebro trabalha a parte lógica, exata, calculista, voltada para a razão, também a fala e a linguagem. O lado direito do cérebro é o inverso, trabalha com o abstrato, com imagens, rima, música, ritmo, criatividade.

Um dos problemas que a maioria das pessoas encontra é que trabalham quase exclusivamente com o lado esquerdo, esquecendo de trabalhar com o lado direto. Pesquisando por aí encontrei um texto muito interessante que retrata muito bem isto:

Desde pequenos somos acostumados a pensar verticalmente. Na escola, como em casa, sempre nos ensinaram que devemos fazer tudo certinho, que devemos ser objetivos, práticos, eficazes, e que a “ousadia” é um perigo que pode custar muito caro. Cientificamente, isto quer dizer que somos educados para utilizar exclusivamente o lado esquerdo do cérebro – o lado da razão e do raciocínio lógico. Porém, e o lado direito – o da imaginação, da intuição, da inventividade – como fica? Atrofiado? É exatamente esta a dificuldade. A maioria das pessoas pensa somente com o lado esquerdo do cérebro. Poucas pessoas usam também o lado direito. Assim, quando se deparam com um problema de difícil solução, ficam com a mente paralisada, sem alternativa, não é mesmo?

É preciso aprender a usar o lado direito do cérebro. É justamente nesse lado que se concentram todas as nossas potencialidades criativas. É preciso explorar esse mundo de talento que você tem na cabeça. Desenvolvendo tão-somente o seu raciocínio lógico, certamente você se tornará uma pessoa muito inteligente, porém, talentoso e criativo você só será quando desenvolver toda sua capacidade de “imaginar” e de “ousar”.

Nova coluna do Blog Idéias: Massa Cinzenta

Nova coluna do Blog Idéias: Massa Cinzenta

Começa hoje no Blog Ideias a coluna semanal chamada Massa Cinzenta. Nela discutiremos um pouco sobre nosso querido e misterioso cérebro,não somente como alvo de pesquisa cientifica, mas também do grande universo de coisas que estão relacionadas a ele e seu funcionamento. Relacionamento, personalidade, comportamento, memória, técnicas de estudo e memorização, otimização, organização pessoal, financeira, do tempo, dicas de programas, livros, músicas, filmes (que venham a ajudar nos propósitos já citados), relaxamento e entretenimento. Enfim, coisas úteis que podem nos ajudar a ter uma melhor qualidade de vida.

Massa Cinzenta: Quanto do seu cérebro você esta usando?

O cérebro humano pesa entre 1,3Kg e 1,5Kg, consome 25% da nossa energia e tem a impressionante capacidade de armazenamento de 11.641 Gigabytes (ou seja, é impossível enchermos nosso cérebro de conhecimento, lembranças ou pensamentos).

Mas a pergunta que você deve estar se fazendo agora é: Como posso otimizar meu cérebro?

Segundo o dicionário Aurélio, otimização “é o processo pelo qual se determina o valor ótimo de uma grandeza, é o ato ou efeito de otimizar”. Levando em consideração que Einstein, considerado um gênio, usava 7% do seu cérebro, podemos concluir (e para isso não precisa nem de longe ser um gênio) que se fôssemos pessoas excepcionais quanto ao uso do cérebro teríamos ainda 93% da nossa capacidade a ser explorada, ou seja, podemos ou devemos estar em um constante aprimoramento das nossas capacidades cerebrais.

Sabendo que nosso cérebro funciona parte no “automático” e parte através de programação, temos a simples, ou nem tão simples assim, tarefa de nos reprogramarmos e de estimular nosso cérebro de diferentes maneiras para fazê-lo dar o melhor de si.

No próximo post iniciarei falando sobre os hemisférios direito e esquerdo do nosso cérebro, quais suas funções e como usá-los melhor!

Até!

Copyright © 2014 Blog Ideias! Diversão garantida ou seu clique de volta. Todos os direitos reservados.