Cartas_na_mesa

Cartas na mesa: Pior do que tá fica!

Cartas na mesa

Olá caros internautas,

Está no ar mais uma edição da coluna Cartas na mesa, aqui no [bi]. E o título da matéria dessa edição define muito bem o sentimento de todos: Pior do que tá fica!

Se antes estava ruim, agora está cada vez pior. Acredito que todos conheçam o deputado federal Francisco Everardo Oliveira Silva, não?!

Pois bem, ele é o deputado mais votado da história do Brasil, e não termina por aí, é também palhaço e humorista. Parece piada? Mas não é!

E para quem ainda não descobriu de quem estou falando, vai mais uma dica.

Em menos de três meses como parlamentar, ele já se envolveu em várias polêmicas. Vou citar três para exemplificar:

– Ele pediu o reembolso de custos com a atividade parlamentar no valor de R$660,00 referente à hospedagem e R$311,00 de alimentação no Porto d’ Aldeia Resort, hotel que fica em meio a dunas, com piscina e vista para o mar na capital cearense. E apenas para lembrar que ele fora eleito pelo PR de SP, ou seja, sua base eleitoral fica a três mil quilômetros do Ceará (que diga-se de passagem é sua terra natal). Algumas semanas depois o jornal O Estado de S. Paulo, denuncia os gastos indevidos e o deputado resolve devolver o dinheiro aos cofres públicos.

– Ele fora acusado de ser analfabeto, o que é proibido pela legislação eleitoral, mas acabou por ser inocentado pela justiça. Em fevereiro ele incluído como membro permanente da Comissão de Educação e Cultura.

– O jornal O Estado de S. Paulo revelou que o nobre deputado havia empregado como assessores parlamentares ex-colegas de profissão por um salário de R$8 mil. E são exatamente esses mesmos ex-colegas que o ajudaram durante a campanha eleitoral de 2010 com slogans como: “O que é que faz um deputado? Na realidade, não sei. Mas vote em mim que eu te conto” e “Vote Tiririca, pior do que está não fica”.

Pois é Tiririca, parece que até nisso vocês nos enganam. O que tá ruim, pode ficar pior ainda.

O povo tem os políticos que merecem!

Mauro Filho

5 comentários

Deixe uma resposta