Eureka! Vida longa aos lactobacilos!

Eureka

Eureka! Vida longa aos lactobacilos!Preciso dizer uma coisa: eu sou uma pessoa muito sensível. Não no sentido de ser uma manteiga derretida que chora assistindo “Arquivo Confidencial” no Faustão (apesar que pode acontecer…), mas no sentido físico da coisa. Vira e mexe tenho reviravoltas estomacais e meu intestino se rebela contra mim. Quando meu organismo resolve virar do avesso, não tomo remédios, ou coisa do tipo. Vou à padaria mais próxima e compro o magnífico, o incomparável, o venerável Yakult.

Eureka! Vida longa aos lactobacilos!

Eureka! Vida longa aos lactobacilos!

Essa invenção dos deuses é do nosso bom e velho Dr. Minoru Shirota. Nascido no Japão, Dr. Shirota dedicou boa parte de sua vida a pesquisas relacionadas à microbiologia do sistema gastrointestinal. Lá pelos idos de 1925, o índice de mortalidade infantil por infecções intestinais no Japão era muito grande, por isso, nosso doutor favorito começou a estudar microorganismos intestinais de forma a usá-los na medicina preventiva, e não tratando os sintomas, como era costume na época.

Eureka! Vida longa aos lactobacilos!

Em 1930, Shirota obteve o título de doutor depois de concluir com sucesso o fortalecimento de microorganismos benéficos e selecionar os mais resistentes, batizados de Lactobacillus casei Shirota.

Eureka! Vida longa aos lactobacilos![Observação: “Os Lactobacillus casei Shirota são microrganismos selecionados, capazes de atravessar a acidez do estômago, chegarem vivos aos intestinos e proporcionarem o equilíbrio das funções intestinais através da produção do ácido láctico.”]

Cinco anos depois, Dr. Shirota começou a fabricação e a distribuição do Leite Fermentado Yakult na cidade de Fukuoka. Daí pra frente, só sucesso: fundação do Instituto de Pesquisas Yakult em Tóquio (1940); inauguração do o Instituto Central de Pesquisas em Microbiologia da Yakult na cidade de Kunitachi (1967); inauguração da fábrica da Yakult em São Bernardo do Campo, a primeira da empresa fora da Ásia (1968).

Dr. Shirota morreu em 1982, mas deixou para nós um legado incomparável. Sua invenção, além de deliciosa (quem nunca desejou uma garrafa de 2 litros de Yakult que atire a primeira pedra!), faz bem à saúde e me socorre nos meus momentos de desespero intestinal.

Ah, você que ainda está se perguntando por que diabos não existe um frasco maior de Yakult, aí vai a resposta:

“Porque o Leite Fermentado Yakult não é como refrigerante ou suco, consumidos para saciar a sede. A finalidade do Leite Fermentado Yakult é, além de nutrir, por ser um produto à base de leite desnatado, fornecer lactobacilos probióticos selecionados (os exclusivos Lactobacillus casei Shirota) a fim de ajudar a fortalecer e a manter o equilíbrio a boa saúde intestinal.”

Sacou?

A coluna Eureka! de hoje contou com informações do site Yakult. Lá você encontra mais detalhes sobre a produção da bebida, entre outras coisas.

Eu vou ficando por aqui, bebendo meus Yakults matinais e rezando para que meu organismo volte ao normal. Já você pode continuar lendo os posts do Blog Idéias! e me seguir no Twitter (@nataliasgv)!

Bjos!

4 comentários

Deixe uma resposta