Check-in: Nas trilhas da Times Square…

Check-in: Nas trilhas da Times Square…

Olá caro internauta!!
Pelo título já deu para imaginar o que nos espera no roteiro de hoje? Um final de ano inesquecível! Cruzamento da Broadway com a Sétima Avenida, entre as ruas 42 e 47. Perdido? Não fique! Você acaba de chegar à Times Square, um dos pontos turísticos mais famosos de Nova Iorque e palco de uma das maiores festas de réveillon do mundo.

Check-in: E viva a diversidade!

Check-in: E viva a diversidade!

Olá caro internauta! Tinha pensado um tema totalmente diferente para este roteiro… mas mudei de ideia agora há pouco e anuncio que o lema de hoje é turismo com cara de aventura! Fiquei inspirada depois de assistir ao Globo Repórter sobre o arquipélago de Galápagos, no Equador, que só conhecia de nome e de algumas histórias. Descobri que o lugar é incrível, com uma fauna riquíssima e belas paisagens! Então vamos embarcar para Galápagos? Nossa rota especial para o Blog Idéias!

Check-in: Mi Buenos Aires Querido!

Check-in: Mi Buenos Aires Querido!

Olá caro internauta!!
Esqueça tudo o que você já ouviu sobre nossos “hermanos” argentinos! No roteiro de hoje vamos além dos passos e do ritmo envolvente do tango… também passaremos longe de qualquer referência futebolística… nos interessa o olhar “colaborativo” da primeira viajante que empresta sua experiência em Buenos Aires para a coluna Check-in!

Check-in: Rio 40º… cidade da corrida!

Check-in: Rio 40º… cidade da corrida!

Olá caríssimo internauta!
Há algum tempo pensei em falar sobre a cidade maravilhosa, mas propondo um roteiro diferente dos tradicionais. Daí surgiu a ideia de falar sobre a crescente “indústria das corridas” que tem movimentado diversos pontos turísticos em todo mundo! O Rio de Janeiro é um deles, bem pertinho da gente, aqui no Brasil. E não importa se você é corredor de “fim de semana” ou é daqueles que pegam firme nos treinamentos. Até quem é adepto da caminhada tem o seu lugar nesse cenário de tirar o fôlego! (Aqui valeu o trocadilho!!)

Trajeto da Maratona do Rio em 2009 (via site da Caixa)


Passagem de parte do pelotão geral pela praia de Copacabana, na Meia Maratona do Rio de 2009 (crédito: Ana Carolina Amaral).

Milhares de atletas, sejam eles de elite ou do “pelotão geral”, sempre viajaram para outros estados e países em busca das corridas de rua cujos circuitos são formados ao longo das principais vias urbanas dos respectivos locais de prova. A novidade está na porção “galera” – sem muitas pretensões profissionais e ligada mesmo na saúde – que tem aliado a paixão pelo esporte com o desejo de conhecer ou de explorar novos lugares.

Há algum tempo a forte divulgação dos circuitos se restringia à São Silvestre, em São Paulo, mas aos poucos foram incluídos a própria Meia Maratona do Rio e a Meia Maratona de Fortaleza, por exemplo. A nossa Volta Internacional da Pampulha, em Minas Gerais, já está na sua décima segunda edição e incentivou o surgimento de outros eventos e percursos, como a Meia Maratona da Linha Verde e, mais recentemente, a Meia Maratona Internacional de Belo Horizonte, realizada no último dia 8 de agosto.

Os novos circuitos refletem apenas uma das conseqüências da crescente procura dos “corredores-turistas” por outros desafios. E por que não aliar um bom desempenho ao turismo? A empresa aérea TAM percebeu essa intenção e em muitas provas distribui folders sugerindo pacotes de passeios nas épocas de maratonas. Outros patrocinadores seguem a oportunidade e faturam na venda de materiais esportivos.

Registro da concentração do pelotão geral da Meia maratona do Rio 2009 (crédito: Ana Carolina).

Bem-vindos ao Rio de Janeiro! Muitos atletas chegam em grupos e levam grande parte da família. Mesmo os que não vão correr podem torcer da beira da praia, pois, nesse caso, grande parte do percurso é com vista para o mar!

Torcida firme na Meia Maratona do Rio em 2009! Depoimento pessoal: pai atleta e a mãozinha da mãe no cantinho. Acredito que a foto seja de Filipe Calijorne.

Normalmente os percursos são de 42km, no caso das maratonas, 21km para as “meia-maratonas” e em alguns eventos são oferecidas rotas menores, de 5 ou 6 km. Na última Maratona do Rio, em 18 de julho deste ano, houve a categoria “Family Run” uma rota menor, mas que possibilita o participante sentir o gostinho de estar em um grande evento e desfrutar da bela paisagem carioca!

"Cidade maravilhosa, cheia de encantos mil"... Praia de Copacabana

Normalmente as corridas começam às 8 ou 9 horas da manhã de um domingo, com previsão de término total das atividades, contando retardatários e a liberação das vias urbanas até aproximadamente metade do dia. Isso quer dizer que, quem escolhe chegar sexta ou sábado tem bastante tempo livre para visitar as atrações cariocas! Sem exagero nos primeiros dias, mas no domingo pós prova tudo é liberado!

Vão aí algumas dicas de passeio!

Forte de Copacabana

Forte visto do alto, entre as praias de Ipanema (esquerda) e Copacabana. (Via Google Imagens: Flickr de Leo Wery).

Vista do Forte de Copacabana.

Confeitaria Colombo

Lapa

Arcos da Lapa ao fundo! Lugar de muita história, música e bares! (Foto via Google Imagens).

Pão de açúcar

Registro em movimento do Pão de Açúcar!

Cristo Redentor

Uma das sete maravilhas do mundo: Cristo Redentor! Passeio imperdível e emocionante! (Foto de Ricardo Zerrenner: http://www.zerrenner.fot.br/).

Claro que o Rio é uma caixinha de surpresas e você pode encontrar muitos outros passeios interessantes! Vale a pena pesquisar e ficar de olho na segurança e nos preços dos transportes urbanos. Caso esteja em grupo, às vezes fica mais barato e seguro pegar um táxi.

No mais, é isso! Espero que tenha gostado no nosso roteiro esportivo de hoje! Prepare-se para o próximo destino! Ele vai ser colaborativo e já posso adiantar que será internacional! Especialíssimo! Não perca!

Bon Voyage!

Check-in: Natal o ano todo!

Check-in: Natal o ano todo!

Olá caríssimo internauta!! Depois de um longo período de férias, estou de volta para agenciá-lo e criar, senão os melhores, os roteiros mais interessantes de toda blogosfera! (Hum…?)

Antes de apresentar nosso destino de hoje, pense num clima relax, aquele barulhinho do mar ao fundo, uma sombra de coqueiro estrategicamente posicionada e água de coco à vontade “dando sopa” ao seu alcance? Imaginou? Pois tudo isso é possível em Natal, capital do Rio Grande do Norte, a terra do ar mais puro das Américas!

Então, continuando o momento “esquenta inverno”, embarquemos para Natal!

Praia de Ponta Negra e Morro do Careca (via Google Imagens)


A foto acima é um dos cartões postais de Natal: a praia de Ponta Negra. Ao contrário de algumas capitais litorâneas, em que as praias urbanas podem ser impróprias para banho, Ponta Negra integra um conjunto paisagístico beira-mar que é um verdadeiro convite ao descanso.

O Morro do Careca, símbolo da região, é uma duna de 107 metros que, até o final dos anos 90, era aberto ao público. Os turistas podiam escalar o morro, descer de skibunda (uma prancha que desliza na areia) e ainda passear por lá de buggy (meio de transporte mais famoso por lá). Mas toda essa brincadeira acabou e as atividades na duna foram suspensas para que o tão importante símbolo fosse preservado. Dessa forma, a mata de restinga ao redor é protegida, assim como a altura do morro.

Mas para quem pensa que com isso extinguiram-se os passeios radicais, mostro-lhes agora que não! Há muita dose de adrenalina do outro lado da balsa ou da Ponte de Todos – Newton Navarro, que liga os bairros e municípios da porção norte da cidade ao litoral sul, passando pelo Rio Potengi.

Próximo a essa travessia se encontra a Fortaleza dos Reis Magos, uma das outras atrações de Natal fora do circuito praia e… praia.

Forte, ou Fortaleza dos Reis Magos (via Google Imagens)


Ponte de todos, vista do Forte!


O passeio pelas dunas de Genipabu, feito com buggeiros credenciados profissionalmente e normalmente indicados por hotéis ou agências de viagem, é garantia de diversão. Com emoção ou sem emoção? Essa provavelmente será uma pergunta feita pelo buggeiro e dará o tom da viagem! Os passageiros escolhem o ritmo da aventura nas areias, com paradas para conhecer muitas belezas e brincadeiras da região!

Passeio de buggy pelas dunas de Genipabu (via Google Imagens)


Skibunda! (Via Google Imagens, mas essa veio até com crédito!)


Bom, continuando nosso roteiro, depois de um dia passeando pelas belezas da cidade, não podemos deixar de conhecer a noite regional! O Forró com Turista é um evento que ocorre toda quinta-feira, no pátio do Centro de Turismo, há mais de 20 anos. Lá é possível ter contato com artesanato, gastronomia e, é claro, com o melhor do xote, xaxado, baião: o autêntico forró pé de serra!

Xô aperreio! Em Natal não tem lugar para desânimo! Antes de passar pelas nossas duas últimas paradas, vale a pena contar uma curiosidade que soube por lá. A capital potiguar, ou natalense, foi fundada no dia 25 de dezembro de 1599 às margens dos já citados Rio Potengi e Fortaleza dos Reis Magos. Localidade conhecida também como esquina do continente, já que fica no extremo Nordeste do Brasil. Além disso, comumente se é falado, por exemplo, “Prefeitura do Natal” e não “de”, outra relação com a data de surgimento e toda a simbologia que a envolve.

Nossa viagem está chegando ao final, mas antes do desembarque, darei só o gostinho de dois outros passeios.

Ao pegar a rodovia 101 rumo ao litoral sul, várias belezas nos aguardam no caminho. O trajeto também pode ser feito de buggy pela praia e, passados 80 km, chega-se em Pipa, no município de Tiabu do Sul. O local nos aguarda com inúmeras atrações: a baía dos golfinhos, morada também de tartarugas marinhas, belíssimas paisagens, águas mornas ora bravias, ora formadoras de piscinas naturais. Resumindo: Pipa é um encanto e, em breve, terá um post só para ela!

No caminho para Pipa... Praia de Cacimbinhas! Para descer é preciso encarar uma escadinha! Haja equilíbrio!


Pipa! Ao fundo a Baía dos Golfinhos.


Praia do Amor! Outra atração da região de Pipa! (Nos anos oitenta foi gravado lá um trecho da abertura do Fantástico com a atriz Isadora Ribeiro!)

Outro lugar que merece destaque é a Barra do Cunhaú. Um pouco mais distante de Pipa, no município de Canguaretama. Paradisíaca, possui um cenário de tirar o fôlego e também oferece boa estrutura turística. Quem é o nosso guia por aqui é o meu amigo Gustavo Andrade, que relata: “praia mais bonita que já vi, esse lugar é doido d+++++++++ e só tem gringo, acho q eu era o único brasileiro la HAhahaH. Tem um quiosque pra servir bebida, comida e tudo, mesmo sendo uma praia praticamente deserta”. Falou e disse, Foca! E são dele as lindas imagens que encerram nossa viagem de hoje!

Travessia para a Barra do Cunhaú (por Gustavo Andrade)


Logo na chegada à Barra do Cunhaú (por Gustavo Andrade)


Foto que gerou o relato citado acima! hehe Barra do Cunhaú (por Gustavo Andrade)


Nobre companheiro de passeio, a excursão a Natal fica por aqui! Obrigada pela atenção e até o nosso próximo destino! Faça como meu amigo e mande também o seu relato, sugestão ou comentário!

Grande abraço e… Bon Voyage!!!

Hoje com imagem! :D


Saiba mais sobre Pipa aqui!

Saiba mais sobre a Barra do Cunhaú aqui!

Check-in: esquenta inverno!!

Check-in: esquenta inverno!!

Olá caro internauta!!
Falta menos de uma semana para o inverno chegar com tudo e gelar ainda mais as nossas estruturas. Ainda estamos no outono, mas há alguns dias institutos de meteorologia como o TempoClima têm destacado sucessivos recordes de temperaturas muito baixas por aqui, em BH.

Tudo bem que tem muita gente louuuca que adora frio! Mas como eu já estou cansada de ficar com a boca seca de tanto passar friagem (haja manteiga de cacau!), decidi radicalizar!

Hoje te convido para um “esquenta” daqueles! Que tal ir para um lugar onde – sim, faz frio, mas podemos contar nos dedos os dias que isso acontece – o sol dificilmente se esconde?? Quem conhece já pode imaginar de qual destino estou falando: Salvador, a capital fervorosa da Bahia!! Eita, beleza! Chega de frio!

Bom, quando Salvador é assunto, o calor é a primeira característica que nos aparece na mente, certo? Provavelmente sim, porque junto disso vem a ideia dos trios elétricos, da música baiana e dos carnavais que levam milhares de pessoas todo ano à cidade. Mas isso também nos traz outras lembranças. Salvador é um dos maiores centros culturais históricos do Brasil e de onde muitos artistas surgem para fazer sucesso mundialmente.

Já vimos que o negócio hoje é puxar a sardinha de Salvador, não é mesmo? Calma, que o nosso roteiro está só começando!

Falamos dos trios elétricos, o que me fez pensar em outra coisa! Já parou para imaginar quantas músicas cantam essa cidade na letra? Tem a do Toquinho com Vinícius de Moraes: “Passar uma tarde em Itapuã, ao sol que arde em Itapuã, ohh…”. E ainda, para quem gosta de seguir os blocos no carnaval: “Te espero no Farol, pra ver o sol se pôr…”, do Rapazolla. Só pra encerrar, não podia deixar a dos Novos Baianos de fora: “Quando o sol se põe vem o farol iluminar as águas da Bahia…

São muitas canções e fica difícil organizar ou tentar se lembrar de todas! Mas não tem erro falar da beleza do Farol da Barra! Olha só:

O tão cantado pôr-do-sol da Praia da Barra

Farol ao entardecer (via Google Imagens)

Praia da Barra "pegando fogo" em um sábado de manhã

Uma (tentativa de) foto artística do Farol da Barra

Vista de cima do Forte da Barra (onde está o farol) para a Baía de Todos os Santos

O farol está construído no interior do Forte de Santo Antônio da Barra, de frente para a Baía de Todos os Santos, a maior baía brasileira batizada com esse nome em 1501 no dia 1º de novembro, “Dia de Todos os Santos” de acordo com a religião católica. A praia da Barra é famosa por compor o circuito do carnaval de Salvador chamado de “Barra-Ondina” e possui uma das poucas áreas onde é possível tomar banho de mar. Apesar do extenso litoral, um bom aviso para os nadadores de plantão é que, por se tratar de praias urbanas a poluição é grande. Os lugares com infra-estrutura para receber turistas e com mar limpo costumam ser um pouco afastados do centro.

Então vamos incluir no nosso roteiro passeios pela região metropolitana de Salvador? Alguns são um pouco distantes, dependendo do transporte marítimo ou rodoviário, mas valem a pena! Demais! Desembarquemos, ora pois, na Ilha de Itaparica, na Praia do Forte e na Praia de Guarajuba.

De barco, com um pouco mais de uma hora de viagem é possível chegar à Ilha de Itaparica. O visual da viagem é ótimo e, dependendo das correntes de vento do dia, pode chegar até ser emocionante pelo balanço do barco (não para todos, claro!).

Obs.: Atenção turistas! Cuidado com os altos preços da Ilha! Vale a pena pesquisar antes de se aventurar por qualquer restaurante! A comida pode descer quadrada!

Itaparica na perspectiva do meio de transporte da vez: o barco.

Agora vamos descer do barco e pegar o translado rodoviário. Pela rodovia BA-099, sentido município de Lauro de Freitas, é possível chegar, com uma hora e meia de viagem, até a Praia de Guarajuba. O lugar é maravilhoso, a água do mar é quentinha e existem muitas barraquinhas que atendem na praia.

Guarajuba e o coqueirinho atirado!

Seguindo um pouco após a região de Guarajuba, com mais 20 ou 30 minutos chegaremos a Praia do Forte. Mais uma vez, atenção com os preços! O local é cheio de pousadas lindas e acessíveis aos reles mortais, mas também sofre grande influência estrangeira, pois muitos gringos têm negócios por lá. A maioria é de origem européia, chegaram para conhecer e não resistiram ao clima brasileiro!

Além dos resorts e pousadas da Praia do Forte, o legal do lugar é a vila com muitas lojas e restaurantes dos mais variados lugares e o Projeto Tamar, com uma sede à beira mar.

Olhar desconfiado... Projeto Tamar na Praia do Forte.

Geeeente, o roteiro de hoje tá grande demais!! Vamos retornar rapidinho à Salvador?? Tem ainda dois lugares que não podemos deixar de conhecer!

Um deles é o Pelourinho! Muitos visitantes se assustam ao chegar na chamada Cidade Alta de Salvador, onde fica o Pelourinho e uma das entradas do Elevador Lacerda. Isso porque o assédio de alguns vendedores ambulantes é muito grande e chega a ser chato às vezes. Mas são as conseqüências de uma cidade turística as quais estamos sujeitos em qualquer lugar do mundo. Uma dica é não aceitar que ninguém coloque uma fitinha de Nosso Senhor do Bonfim no seu braço, pois isso é uma espécie de sinal para que outros vendedores venham lhe oferecer badulaques. Deixe pra usar a fitinha em outra ocasião.

Dicas à parte, o Pelourinho é muito interessante! Lá se respira cultura e história! Suas ladeiras são constantemente usadas como cenários em filmes, videoclipes e compõem o palco constante do grupo Olodum!

Pelô!

Caro internauta companheiro de viagem! Pode ter certeza que Salvador é muito mais do que apresentamos aqui! Mas acho que conseguimos esquentar um pouquinho o clima da coluna, né? Para finalizar, deixo mais algumas imagens da capital baiana.

Elevador Lacerda (lá embaixo, o Mercado Modelo)

Praça Castro Alves, entardecer inspirado pelo escritor

Não resisti, mais um fim de tarde, desta vez no bairro Rio Vermelho.

Quem sabe continuamos no ritmo do calor semana que vem? Ou você prefere se render ao frio?

Aguardo sugestões e ideias!!

Bon Voyage!!

Check-in: Pacote romântico

Check-in: Pacote romântico

Olá caro internauta!!

Como prometido, hoje é dia de adquirir um pacote para dois e aproveitar todo o romantismo que esta época inspira!

E para caprichar na comemoração, nosso roteiro é bem ousado!! Te convido a ir praticamente do Oiapoque ao Chuí, do quente pro frio, do oito direto para o oitenta!

Exageros à parte, na verdade separei dois destinos pra lá de românticos, um pertinho, no Brasil, e outro atravessando o globo. Então comecemos com o mais longínquo!

Roteiro ousado! Ui!

Agra

Onde fica? (via Portal UOL)

O grande cartão-postal da Índia e uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno (eleito em 2007) é considerado a maior prova de amor que existe no planeta! Quem já ouviu a famosa música de Jorge Ben Jor deve se lembrar disso:

“Foi a mais linda história de amor / Que me contaram e agora eu vou contar/ Do amor do príncipe Shah Jahan pela princesa Mumtaz Mahal” (Ouça!)

Taj Mahal... Taj Mahaaaal... Teteteteretere...

Um dos maiores símbolos de paixão construídos pelo homem é uma homenagem à Mumtaz Mahal, considerada a jóia do palácio. Mumtaz era a esposa preferida do imperador Shah Jahan e morreu ao dar à luz o 14º filho do casal. O mausoléu foi edificado no século XVII, demorou cerca de 20 anos para ficar pronto e é constituído, quase que totalmente, por mármore branco.

Milhares de pessoas visitam frequentemente a cidade de Agra, onde se localiza o Taj Mahal. O resto da paisagem do lugar destoa da beleza do palácio, pois Agra é muito poluída, inclusive com ocorrência de chuvas ácidas que prejudicam o mármore da atração. No entanto, é possível aproveitar a viagem até a região norte da Índia conhecendo os arredores de Agra. Hotéis de qualidade, restaurantes, internet e outras facilidades podem ser encontrados facilmente na região em volta do Taj Mahal.

O cenário é de tirar o fôlego, além do visitante mais atento sentir todo o romantismo simbólico presente no local! Tá aí: quem pode, pode!

Monte Verde

Onde fica? (via Portal UOL)

Agora, chegando um pouco mais perto da nossa realidade, vamos pegar o trecho rodoviário e parar quase na divisa do estado de Minas com o de São Paulo. Cercada pelas montanhas da Serra da Mantiqueira, há quem diga que Monte Verde é a “Suíça brasileira”, com um ar praticamente “europeu”! As baixas temperaturas são um convite para ficar mais agarradinho e curtir as paisagens compostas por belas casas, morros, pedras, picos. A companhia da natureza é constante!

Via monteverde.com.br

O charme do vilarejo, localizado no distrito de Camanducaia, cidade do sul de Minas Gerais, está nos seus 1.500 metros de altitude, na tranqüilidade característica e na estrutura com hotéis, pousadas, várias opções de ecoturismo e excelentes restaurantes. Por isso o ambiente em Monte Verde atrai não só casais, mas também famílias de todas as partes do Brasil.

A história do nome e do surgimento da cidade tem a ver com a imigração de europeus para o continente americano. Em 1936 famílias vindas da Letônia procuravam um lugar cujo clima fosse parecido com o da respectiva terra natal. A primeira colônia a se fixar no território era liderada pelo casal Werner Grinberg e Emília Lejasmeijers Grinberg (daí o nome: Verde (“Grin”) Monte (“Berg”).

Frio!! Olha a grama coberta por gelo! (via monteverde.com.br)

É recomendável o acesso à cidade por carro, apesar de os 32 km que ligam Camanducaia à Monte Verde serem um tanto esburacados, porque, dessa forma, é possível se locomover com facilidade pelo local. Outra dica para o viajante é procurar, logo ao chegar, a sede da Associação de Hotéis e Pousadas de Monte Verde (AHPMV), onde você tem acesso a um mapa do vilarejo e pode buscas orientações quanto aos passeios, hospedagem, restaurantes.

Precisa explicar a origem do nome? (via bhguia.com.br)

Vista da Pedra Partida (via monteverde.com.br)

O trekking (nome chique que muitos usam só para sofisticar a boa e velha caminhada) é a melhor maneira de se aventurar pelas trilhas da região e conhecer os melhores pontos. A do Chapéu do Bispo, à 1.955 metros de altitude, leva o turista à uma vista maravilhosa, literalmente “nas nuvens”. E não pense que Monte Verde tem atrações só para quem visita a cidade no inverno, pois há o que se fazer por lá durante todo o ano. Além de namorar à luz e calor da lareira, o ecoturismo é forte e existe até uma pista de patinação no gelo!!

Nas nuvens... (monteverde.com.br)

Chapéu do Bispo (via flickr.com)

Bom, assim fica difícil resistir, né?

Se quiser saber mais sobre Agra, na Índia, e sobre Monte Verde, no Brasil, dê uma passadinha no site de Viagens do UOL! Ele foi um dos nossos guias do roteiro de hoje. Os links estão abaixo:

Agra
http://viagem.uol.com.br/guia/cidade/agra_index.jhtm

Monte Verde
http://viagem.uol.com.br/guia/cidade/monteverde_index.jhtm

Para outros lugares românticos:
http://viagem.uol.com.br/sugestoes/lugares-romanticos.jhtm

E eu fico por aqui, desejando um ótimo dia dos namorados para todos, inclusive para os que estão em busca da cara metade e em breve estarão em pleno clima de romance (se assim quiserem e Santo Antônio ajudar)!

Obrigada pela companhia, povo!! Fiquem à vontade para sugerir destinos! Tem algum lugar que você adoraria conhecer no mundo? (Eu quero saber! hehehe)

Bon Voyage!!

Check-in: Viagem dos deuses

Check-in: Viagem dos deuses

Olá caríssimo internauta!!

Hoje é feriado nacional de Corpus Christi, e nada melhor do que planejar uma viagem para prolongar o descanso! Mas para aqueles que querem ir um pouco, só um pouquinho, mais longe, gastando apenas energia elétrica, convido para o nosso destino da semana: a Grécia!! Esse post é um oferecimento do boss @pedrosmr!!

Vamos dar uma força para a Grécia que nos últimos meses passou por uma desagradável crise econômica e ainda sofre com as consequências da bancarrota e com a pressão do mundo ocidental. Um lugar tão lindo, que nos oferece tantas paisagens oníricas (gastei) merece um roteiro especial!

Bom, além de sugestão do boss, a fonte de inspiração da colunista que vos fala é a página Hongkiat.com. Lá eles destacam alguns lugares lindos de viver (como nos diria Hebe) e nós vamos conferir!

Para quem não tem muita notícia do que é a Grécia, pode ter certeza que estamos tratando de um dos países mais bonitos do mundo, além de sua importância histórica, claro! É o berço das Olimpíadas, dos estudos sobre a democracia e a ciência política, do desenvolvimento da literatura ocidental, da mitologia grega, só para citar algumas coisas com as quais somos familiarizados muitas vezes sem nos lembrarmos da origem.

Grécia

Via GoogleMaps! Olha a Grécia aí gente!!


As águas influem fortemente na vida e na cultura dos gregos, pois o país é composto por milhares de ilhas e 227 delas são inabitadas. O território é banhado pelo mar Mediterrâneo, pelo mar Egeu a leste e pelo mar de Jônico a oeste. A Grécia também é um dos lugares mais montanhosos de toda a Europa e o clima é bem variado, com zonas temperadas, alpinas ou mediterrâneas. Isso contribui também para a quantidade de paisagens diferentes que podem ser contempladas pelos moradores e turistas.

Atenas

Já vimos que o negócio da Grécia é idade avançada (no bom sentido) e a capital Atenas não poderia sair da regra. Com mais ou menos 3.400 anos, uma das cidades mais antigas do mundo foi batizada em homenagem à deusa da sabedoria, da paz e da guerra: Atena. (A fofoca que rola no meio mitológico é que Atena é a filha preferida de Zeus! Abafa!)

Acrópole, antigo centro sagrado de Atenas, conhecido no mundo inteiro por sua relevância histórica tem como maior destaque o Partenon (paraíso para qualquer turista que quer tirar uma onda de fotógrafo profissional!)

O Partenon, na Acrópole de Atenas

O Partenon, na Acrópole de Atenas.


Templo de Zeus Olímpico, Atenas

Templo de Zeus Olímpico, Atenas.


Entardecer em Atenas

Entardecer em Atenas. Inspirador!

Santorini

Escolhi Santorini como uma de nossas paradas justamente pelas belas imagens que o arquipélago nos oferece. Na Antiguidade, essa área era formada por uma única ilha, mas uma erupção vulcânica de grande magnitude transformou Santorini em um arquipélago circular composto por várias ilhas vulcânicas.

Água doce é algo raro em Santorini, não há rios no local e as principais fontes hídricas são as chuvas e o processo de dessalinização da água do mar.

Santorini de manhã

Santorini de manhã...


Santorini à tarde

… à tarde …


Santorini à noite

… e à noite!


Ficou curioso para conhecer outros destinos da Grécia? Como já citei no comecinho do post, clicando aqui você confere mais de 50 fotos de lugares incríveis em território grego! A escolha é sua!

E não se esqueça de deixar sua ideia para o nosso próximo embarque na semana que vem! O Dia dos Namorados está chegando… humm, quem sabe um roteiro para os apaixonados?!

Obrigada pela companhia e:

Bon Voyage!!

Check-in: Vamos com a seleção?

Check-in: Vamos com a seleção?

Olá caro internauta!!

Nesta semana a seleção brasileira embarcou para a África do Sul em grande estilo! Na quarta-feira, dia 26, os jogadores e toda a comissão técnica passaram por Brasília para se despedirem “formalmente” dos brasileiros e viajaram rumo à Joanesburgo! Apenas o zagueiro e capitão Lucio e o lateral-direito Maicon, ambos do Internazionale de Milão, se juntaram ao grupo pouco depois do pouso em território africano.

Seleção brasileira na chegada à Joanesburgo! Crédito: Reuters (via Portal G1)


Dá só uma olhadinha na perspectiva do Hotel da seleção em Joanesburgo! (Maquete divulgada no site do globoesporte.com)

E então, que tal conhecer um pouco sobre o país sede da Copa do Mundo 2010? Te convido a passear pela África do Sul, especialmente por duas paradas praticamente obrigatórias da seleção brasileira: Joanesburgo e a Cidade do Cabo. Bora? E pode tirar aquele casaco do armário, porque o clima atualmente está como aqui, quase inverno! Mas um outono tranquilo, porém mais sério: média de 18 graus, manhãs de 13ºC.


Legenda do mapa: Montagem super amadora!! Mas o que vale é a intenção! Brasil!!

Joanesburgo é uma cidade novinha, que também já é gigante. É a maior da África do Sul, com mais de 3 milhões de habitantes. Nasceu em 1886 e hoje é o centro financeiro e comercial do país. Por lá que a seleção já deu início aos preparativos para os jogos, concentrada no hotel Fairway.(O primeiro jogo será dia 15 de junho, contra a Coréia do Norte, no Ellis Park, Joanesburgo!)

A cidade-sede da Copa é a única a ter dois estádios, incluindo o Soccer City, totalmente reformado e que se tornou o maior continente. A capacidade do estádio é para 94 mil pessoas e será o local de abertura da Copa do Mundo.

Os encantos de Joanesburgo ficam por conta, além das suntuosas construções que, infelizmente, muitas vezes se contrastam com a desigualdade da periferia mais pobre, da sua importância histórica. O Soccer City está localizado na entrada de Soweto, distrito da cidade e famoso pela luta contra o apartheid. Em 1990, o estádio foi palco do primeiro grande comício de Nelson Mandela após sua libertação e também recebeu, em 1996, a decisão da Copa Africana de Nações, a maior conquista do futebol sul-africano.

Soccer City!


Hillbrow Tower e a "night" de Joanesburgo

E se Joanesburgo nos mostrou timidamente suas atrações, a Cidade do Cabo é um deleite para os olhos de qualquer turista! Considerada pelo Guiness Book uma das seis mais bonitas do planeta! Lá foi construído recentemente para a Copa o Green Point Stadium, com 68 mil lugares, dos quais restarão 10 mil após o evento, pois está previsto que o local se torne abrigo para jogos de rugby e shows.

As belezas naturais da Cidade do Cabo são diversas, mas as mais conhecidas são a Table Mountain, o Cabo da Boa Esperança (antes chamado de Cabo das Tormentas devido ao encontro conflituoso entre as águas do Oceano Atlântico com as do Oceano Índico) e a orla da Baía Falsa. Por lá não é difícil ver carros chiques e caríssimos pelas ruas e quem já foi à Kaapstad diz que a estrutura de uma das capitais da África do Sul é de primeiro mundo! (Aff, que metida!)

Cidade do Cabo. Bonita mesmo, né?

Table Mountain e logo ali atrás o Cabo da Boa Esperança


Mas o que deve ser gelaaaada essa água!


Estádio Green Point! Crédito: Victor R. Cavaiano / AP (via site do Estadão.com.br)

Bom, agora que já passamos por dois dos pontos fundamentais para a trajetória da nossa seleção brasileira pela Copa da África do Sul 2010, antes do desembarque chamo a atenção para uma curiosidade! Dá só uma olhada nesse mascote africano! Não é por nada não, mas ele é bem tendencioso, hein? Ainda bem que as cores escolhidas para representar a África têm tudo a ver com o Brasil, né não??



Tá chegando!! Agora é torcer!!

Espero que tenha gostado da nossa viagem singela pela África do Sul! Até o próximo destino! E dá-lhe Brasil!!

Bom voyage!!

**Fontes: GloboEsporte.com http://bit.ly/9Dl48T

Check-in: delícias (ou não) de viagem

Check-in: delícias (ou não) de viagem

Olá caro internauta!

Durante o planejamento do roteiro de viagem, quem nunca parou para pensar nos encantos gastronômicos que o destino turístico pode reservar? Traduzindo! Existem pratos típicos de várias regiões do mundo que são conhecidos e podem ser encontrados por aqui, mas e os outros ingredientes como o clima, a paisagem e o tempero de origem? Tem jeito de reproduzir?

Por isso muita gente brinca que, se você foi a um lugar com determinada comida extremamente famosa e não provou, é como se não tivesse ido realmente aquela cidade ou região.

Então no post de hoje convido você a fazer um pequeno tour gastronômico e relembrar (ou conhecer) algumas comidinhas peculiares.

Começo pelo mais difícil: o Brasil.

Feijão TropeiroÉ possível eleger uma única comida típica brasileira? Talvez a feijoada. Mas a nossa diversidade cultural é tão rica dentro de um único território que fica muito difícil escolher entre o vasto cardápio que é oferecido aos turistas que visitam o país. Bom, mas como preciso optar por um prato, vou “puxar a sardinha” para minha terra natal e falar sobre o queridinho das Minas Gerais: o feijão tropeiro. Esse talvez primo próximo da feijoada está, sem dúvida, em qualquer restaurante que se anuncie de “comida mineira” e é resultado de uma grande mistura: além do protagonista feijão, a receita leva farinha, lingüiça calabresa, toucinho, ovo, couve e temperos. Algumas variações podem ocorrer de acordo com o toque de cada cozinheiro.

Já ouvi dizer, em uma das aulas de história da época de colégio, que o feijão tropeiro surgiu no século XVII, no período conhecido como Bandeirantismo. Nesse período se intensificaram as expedições rumo ao interior do Brasil em busca de novas riquezas, como o ouro, e, diante da dificuldade dos bandeirantes se alimentarem longe dos centros “urbanizados”, a profissão de tropeiro apareceu. Tropeiros então transportavam, além de comida, animais e outros produtos referentes ao comércio.


França

Humm... escargot!Depois de mergulhar, inclusive, na história do Brasil enquanto colônia, vamos voltar ao roteiro gastronômico de hoje passando pela França. Prato típico dos bistrots parisienses, o escargot é muito apreciado por lá. Há quem prefira os do mar aos da terra, mas a verdade é que podem até ser saborosos, mas bonitos não são mesmo! O preço dessas delícias é bastante “salgado” em qualquer região do mundo. E antes que algum maluco tenha a ideia de comercializar essa iguaria feita com caracóis por aí, pegando exemplares no jardim de casa, vale esclarecer que as espécies comestíveis são poucas e rigorosamente selecionadas.


Itália

Pizza!Madonna mia! Ela é a protagonista de vários restaurantes, do lanche com a galera, ou até da hora que bate a fome na madrugada. Hummm: o cheirinho de uma boa pizza faz qualquer ser humano em sã consciência (e de estômago vazio!) querer ao menos um pedaço! Atualmente a pizza está popular no mundo inteiro, mas sua origem é italiana. Dizem que os egípcios faziam algo parecido com farinha e água antes dos italianos, mas todo o incremento foi dado na região de Nápoles, sul da Itália.


China

Uiá! Yakisoba!Ufa! Quase não cabe mais nada depois das várias escalas gastronômicas, mas vamos atravessar o globo para finalizar nosso roteiro na Ásia. É velha (e verdadeira) a história de que o macarrão não surgiu na Itália e sim na China. Mas foi da área que desponta economicamente no mundo a criação de um prato que salta aos olhos (sem nenhuma intenção de trocadilhos) de muita gente aqui pelo Brasil. O Yakisoba foi incorporado também pela cultura japonesa, com algumas modificações. No entanto, os ingredientes básicos são: legumes, verduras, macarrão e um tipo de carne.



Bom, agora que já estamos satisfeitos, encerro por aqui mais uma edição da coluna Check-in! Cheia de ideias pensando ainda no que daria inventar um prato com o macarrão chinês e uma pitada de churrasco, por exemplo. Será que dá pra imaginar uma combinação diferente que fique apetitosa? Quem sabe tento e conto aqui depois?!

Enquanto isso aguardo sugestões de roteiros! Até o nosso próximo destino!

Bon voyage!

Copyright © 2014 Blog Ideias! Diversão garantida ou seu clique de volta. Todos os direitos reservados.